A produção social da escrita

Raymond Williams
As palestras e ensaios reproduzidos nesta coletânea representam quase duas décadas de reflexões de Raymond Williams sobre a produção literária. Concebidos entre 1964 e 1983, os textos relacionam, em particular, o estudo das formas de escrita com as condições em que o ser humano produz sua história. Não para localizar nos variados estilos literários o “reflexo” da sociedade, em um movimento mecânico, mas, ao contrário, para promover uma análise imbricada, dialética, que entrelaça dinâmica social e narrativas literárias. Arte e sociedade são, assim, manifestações de um mesmo impulso, “uma disposição comum de energia e rumos”. Williams examina estilos literários e autores específicos: a forma dramática e a linguagem de Racine e Shakespeare; a ficção inglesa em 1848; David Hume, Charles Dickens e a transformação da prosa inglesa. O volume inclui, ainda, ensaios sobre a tradição dos estudos literários em Cambridge e sobre o papel da região e das classes no romance, além uma digressão a respeito da imaginação no processo da escrita. No ensaio de abertura, o autor adverte que os textos relacionam‑se diretamente com duas de suas obras, Marxismo e literatura (1977) e Cultura(1981). Ele se preocupa, em especial, com a significativa transformação da realidade no fim do século 20, que redefiniu as relações entre a escrita e a sociedade com o maior alcance da alfabetização, e o advento dos meios de comunicação de massa.
Disponibilidade
Em estoque
R$62,00
.
Mais Informações
Tradutor(es) André Glaser
Editora Unesp
ISBN 978-85-393-0512-4
Edição 1
Ano 2014
Páginas 368
Formato 14 X 21 cm
Idioma Português