Olá visitante

Itens no carrinho: 0

Subtotal: R$0,00

Educação e Luta de Classes: A Experiência da Educação na Comuna de Paris (1871)

Autor(es): Jane Barros Almeida

Editora: Alínea

de R$55,00

por R$44,00

Disponibilidade: Em estoque

Disponível em
Educação e Luta de Classes: A Experiência da Educação na Comuna de Paris (1871) Educação e Luta de Classes: A Experiência da Educação na Comuna de Paris (1871)

O livro trata de pesquisa que deixa claro que a Comuna de Paris foi real e teve a importância de ser um dos mais contundentes modos de ver como é possível mudar a trajetória dos acontecimentos. Foi ao passado encontrar as raízes de um movimento que mostrou ao mundo novas possibilidades; que, mesmo derrotado pelas forças opositoras, deixou um rescaldo... e é nele que a autora nos aponta, para os dias de hoje, um caminho o qual devemos percorrer sem trégua para oferecermos às nossas crianças concretas e poderosas vias de mudança.
Ontem e hoje, vivemos imersos na ofensiva capitalista, com recursos diferentes, mas sempre com os mesmos objetivos. É preciso não desistir e ter consciência de que mais importantes ainda são os sujeitos que agem, de modo consciente e autônomo, que não se rendem e podem interferir no curso da história para que a escola seja verdadeiramente pública e a Educação, um direito da classe trabalhadora.

Prefácio: uma iluminação sobre o sentido socialista do público
(Roberto Leher)

Capítulo 1
Introdução
Itinerário metodológico
O universo do debate, a generalidade
Exposição dos capítulos

Capítulo 2
A Comuna de Paris de 1871: os antecedentes, a conquista e o legado
Análise histórica e conjuntural da Comuna
Contextualização da Europa no século XIX: a Era do Capital
Os antecedentes da Comuna de Paris na França
18 de março de 1871, os trabalhadores tomam o céu de assalto – a Comuna de Paris

Capítulo 3
Análise Sociológica da Comuna de Paris de 1871
Comuna de Paris: a primeira experiência moderna de uma revolução operária ou o crepúsculo da revolução de 1789?
Como compreender a derrota dessa iniciativa: o debate a respeito da inexistência de um partido
Os limites e as inspirações da Comuna: para além do debate sobre partido
O processo pedagógico da Comuna de Paris: as lições importantes

Capítulo 4
A Antessala da Educação na Comuna de Paris
Da Lei Guizot ao programa da associação dos(as) instrutores(as) e professores(as) socialistas: a gênese do projeto educacional dos trabalhadores
O Segundo Império e o ‘liberalismo’ de Bonaparte: a construção do protagonismo proletário no debate educacional ante as ‘brechas’ da política liberal
O fértil terreno pedagógico: elementos importantes que influenciaram a construção de um projeto educacional
Em síntese: a antessala para a Comuna, dados educacionais de Paris em 1870-71, elementos para o debate educacional

Capítulo 5
A Educação Pública e Popular da Comuna
Blanqui e Proudhon: as propostas educacionais e a influência na Comuna
A educação na Comuna: um novo projeto
A educação para além da escola: as bases para uma cultura popular
Os principais intelectuais orgânicos que contribuíram com a formulação da proposta de educação pública e popular
A educação na Comuna de Paris: um projeto revolucionário

Capítulo 6
Educação e Luta de Classes: processos de construção da consciência
Educação e instrução: um debate para além da formalidade conceitual
A educação dos communards: expressão de uma nova concepção de mundo, uma nova cultura – omnilateral
A relação entre educação e emancipação humana: a contribuição pedagógica dos communards
A falência do Estado educador: o soterramento do crepúsculo republicano
A educação pública e popular: duas faces do mesmo projeto
A educação, a luta de classes e os processos de ‘tomada’ de consciência do projeto emancipatório

Conclusão

Referências

Edição
ISBN 978-85-7516-771-7
Páginas 240
Formato 16 x 23 cm
Idioma Português

Apresentar este livro sobre a Comuna de Paris tem para mim um sabor especial, por duas razões: a primeira, o respeito que tenho por esta pesquisadora e militante da causa socialista que, com sacrifício e competência, se dedicou a trazer ao público um trabalho que é a evidência concreta de que a história deixa marcas com as quais podemos aprender, se as quisermos ver e entender da ótica da crítica. A segunda, o fato de se tratar de uma pesquisa que deixa claro que a Comuna de Paris foi real e teve a importância de ser um dos mais contundentes modos de ver como é possível mudar a trajetória dos acontecimentos.
Jane Barros Almeida é uma jovem e inquieta socióloga que não se paralisa diante das tempestades vividas hoje no plano da Educação, sobretudo. Ela foi ao passado encontrar as raízes de um movimento que mostrou ao mundo novas possibilidades; que, mesmo derrotado pelas forças opositoras, deixou um rescaldo... e é nele que Jane nos aponta, para os dias de hoje, um caminho o qual devemos percorrer sem trégua para oferecermos às nossas crianças concretas e poderosas vias de mudança, de intensa luta − cotidiana e organizada − da classe trabalhadora. Ontem e hoje, vivemos sem tréguas imersos na ofensiva capitalista, com recursos diferentes, mas sempre com os mesmos objetivos. É preciso não desistir e ter consciência de que mais importantes ainda são os sujeitos que agem, de modo consciente e autônomo, que não se rendem e podem interferir no curso da história para que a escola seja verdadeiramente pública e a Educação, um direito da classe trabalhadora.

Prof ª Dr ª Raquel Guzzo

* Imagens meramente ilustrativas, não representam fotos reais do produto.